Curso de Pós-graduação em Sexologia Clínica IBCMED 

Curso de Pós-graduação em Sexologia Clínica IBCMED 

Curso de Pós-graduação em Sexologia Clínica IBCMED 

Pós-graduação médica em

SEXOLOGIA CLÍNICA

Ensino Digital

A Pós-Graduação em Sexologia Clínica o prepara para analisar e reconhecer os diferentes aspectos que articulam, determinam e sustentam as diferentes queixas e comportamentos sexuais, identificando possibilidades terapêuticas que promovam a melhora da qualidade de vida dos pacientes, através do domínio de patologias referentes à sexualidade e aos fenômenos psicossomáticos capazes de desencadear doenças.

Quero mais informações

SOBRE O CURSO

CARGA HORÁRIA

596h

AULAS
AO VIVO

DURAÇÃO

12 meses

MODALIDADE

 Ensino digital

PRÉ-REQUISITO

Graduação em Medicina

PRÁTICA ONLINE

A Pós-Graduação em Sexologia Clínica, oferece o treinamento online de atendimentos simulados. Para exercitar a habilidade de escuta terapêutica e metodologia diagnóstica são convidados atores, que protagonizam o papel de pacientes de diferentes casos clínicos. Assim, a turma é dividida em grupos e os alunos fazem o atendimento simulado, com o objetivo de treinar técnicas do atendimento em terapia sexual

ENSINO DIGITAL

Como funciona

Você poderá esclarecer suas dúvidas em tempo real com o professor, discutir casos clínicos, pedir auxílio, assim, buscando o máximo de conhecimento possível.

Ambiente Virtual

As aulas ficarão disponíveis no ambiente virtual do aluno, garantindo uma experiência totalmente digital com a qualidade IBCMED de sempre!

Aulas ao vivo

As aulas da Pós-Graduação ocorrem mensalmente por transmissão ao vivo nas sextas-feiras à noite e nos sábados pela manhã.

O QUE VOCÊ IRÁ APRENDER

Clique nos títulos para ver o restante do conteúdo.

Os conceitos de psicossomática e sua inter-relação com a sexualidade. Entende-se por psicossomática uma ideologia sobre a saúde, sobre o adoecer e as práticas da medicina que levam em conta a integridade do ser e não somente os sintomas apresentados. Sendo a sexualidade uma dimensão constitutiva do ser humano, é fundamental que os profissionais cuidadores de pessoas compreendam as suas várias manifestações e intersecções com o biofisiológico, o psiquismo e o meio ambiente.

A disciplina abordará o conceito de transtornos sexuais, compreendendo as disfunções e inadequações sexuais. Serão discutidos os múltiplos aspectos que produzem os sintomas, tanto de ordem biofisiológica, quanto psicossocial e relacional.

Explorar as fases do ciclo de vida na perspectiva da sexualidade na família. Compreender o conceito de sexualidade na família e sistema familiar. A disciplina abordará a expressão da sexualidade nas fases da infância, adolescência, jovem adulto, novo casal, casal com filhos e terceira idade.

Nesta disciplina abordaremos os aspectos biofisiológicos envolvidos na sexualidade humana, apresentando o desenvolvimento e funcionamento do corpo masculino, nas suas bases genéticas, gonadais e funcionais, tais como: reprodução humana; alterações embrionárias; anatomia sexual; fisiologia da reprodução; hormônios e sexualidade; más-formações genitais. Tomando o ciclo da resposta sexual humana, a disciplina abordará como comumente as pessoas expressam suas dificuldades sexuais.

Abordaremos os aspectos bio-fisiológicos envolvidos na sexualidade humana, apresentando o desenvolvimento e funcionamento do corpo feminino, nas suas bases genéticas, gonadais e funcionais, tais como: reprodução humana; alterações embrionárias; anatomia sexual; fisiologia da reprodução; hormônios e sexualidade; sexualidade e anticoncepção; gravidez e puerpério; climatério e menopausa.

As medicações pró-sexuais são uma importante opção no tratamento de algumas disfunções sexuais. É importante que sejam bem indicadas e conjugadas a terapia sexual, para maior efetividade.

A disciplina pretende apresentar a interface entre transtornos mentais e sexualidade, para contribuir no diagnóstico diferencial e na assistência medicamentosa. Também serão abordados os transtornos parafílicos e como eles impactam na expressão da sexualidade e das relações afetivo-sexuais.

Embora sexo e afeto sejam energias que mobilizam impulsos diferentes, pensar o ser sexual é pensar na maneira que se coloca diante do outro: suas expectativas, desejos e afetos. Serão explorados os conflitos das relações afetivas que tornam o sintoma sexual o centro do problema e como os profissionais médicos podem auxiliar no diagnóstico e na condução clínica.

A cultura hegemônica do que se espera socialmente do gênero homem foi moldada a partir da linguagem de agressão, dominação, cuja lógica deveria obedecer a alguns parâmetros de virilidade e austeridade, mas principalmente, a supressão da afetividade. Diante desta construção, a relação entre masculinidades e alexitimia torna-se angustiante e, consequentemente, gera sofrimento aos homens. Uma dor que se traduz pelo silêncio. A disciplina pretende refletir sobre as especificidades das construções sociais a respeito das masculinidades e compreender como as relações das masculinidades hegemônicas influenciam nas condutas e dificuldades de expressão de afeto dos homens, bem como as implicações sociais e relacionais.

A violência, tão naturalizada no nosso meio cultural, torna-se agravada quando está relacionada à gênero e à sexualidade. Da violência simbólica aos crimes sexuais, as múltiplas concepções da violência serão discutidas, problematizando as mais expressivas em nosso meio social (violência doméstica, violência de gênero e estupro de vulnerável), enfocando as causas, as consequências e os processos interventivos do profissional da saúde.

A disciplina aborda as implicações ético-morais que derivam da riqueza de potencialidades-significados da sexualidade, a importância da integração entre sexualidade e projeto de vida. Compreender o significado da questão ética.

As queixas sexuais masculinas podem ser de etiologia orgânica ou psicogênica. Essas queixas são, muitas vezes, não interpretadas com propriedade, por falta do conhecimento do profissional médico. É preciso que todos que se propõe ao diagnóstico e tratamento desses transtornos, entrem em contato com a temática, para que, se não se sentirem à vontade no tocante de conduzir esse tratamento, saiba como encaminhar para o profissional adequado.

É bastante comum que profissionais de saúde não valorizem a importância das queixas sexuais para a saúde integral da pessoa, relegando-as ou limitando-se a investigar a pessoa a partir de uma visão cartesiana e reducionista do existir humano. Sabemos que muitos sintomas físicos afetam e são afetados pela vivência da sexualidade. Nesse sentido, o módulo busca dar conhecimentos e habilidades para que uma nova escuta terapêutica seja sugerida.

A disciplina pretende abordar os pressupostos da fisioterapia pélvica aplicada ao tratamento de queixas sexuais.

Nesta disciplina os alunos serão levados ao conhecimento de como abordar o paciente com queixas sexuais, com ética, escuta ativa, empatia. Para isso, usamos uma integração de Técnicas de Terapia Sexual de abordagem Comportamental Cognitiva, Psicodramática e Sistêmica, que juntas com a clínica, serão as ferramentas para o tratamento dos pacientes com queixas sexuais.

Apresentar o cuidado e atenção à saúde sexual de todos, dando direcionamento de atendimento de queixas sexuais para a população LGB.

Há uma série de conduções clínicas possíveis para o tratamento de queixas sexuais. O uso de medicamentos pró-sexuais, devem ser usados com critérios específicos e acompanhamento metódico. As cirurgias quando aplicadas devem ser complementadas com bases na visão psicossomática. Os processos terapêuticos são fundamentais para, não só tratar uma queixa, como acompanhar os sentimentos e reflexos na qualidade de vida da pessoa e do casal. Neste Módulo faremos um treinamento da habilidade de escuta terapêutica e metodologia diagnóstica, através de atendimentos simulados, com supervisão. Dá-se início a supervisão de casos clínicos.

Intervenções em ambulatórios de saúde: terapia sexual individual, casal e grupos, interconsulta, treinamento e ações educativas.

A disciplina versará sobre o estudo das Assexualidades e a diversidade sexual, no intuito de apresentar esta identidade sexual e pluralidades afetivo-sexuais, voltada ao respeito identitário de cada pessoa.

A disciplina pretende apresentar a saúde sexual da população trans, através de desafios apresentados pela população como estigma, discriminação.

No Grupo de Terapia Sexual o processo é realizado pela interação entre terapeuta e pacientes e entre os próprios pacientes. Além das intervenções realizadas pelo terapeuta, o grupo e a troca de experiências são instrumentos significativos no processo de mudança. Os integrantes enfrentam problemas semelhantes e têm objetivos em comum, sendo capazes de compartilhar suas vivências e contribuir para o desenvolvimento pessoal dos demais.

Abordagem corporal como estratégia psicofísica de tratamento psicológico para as disfunções sexuais e promoção da Saúde Sexual.

NOSSOS PROFESSORES

Ana
Canosa

Coordenadora

Ma. Arlete
Gavranic

Professora

Breno da Silva
Rosostolato

Professor

Ma. Eliane
Aparecida Lemos

Professora

Eliezer
Berenstein

Professor

Nina Morena
Teixeira

Professora

Dr. Ronaldo
Zacharias

Professor

Saulo Vito
Ciasca

Professor

Dra. Yeda Maria
Aguiar

Professora

Dra. Roberta
Payá

Professora

Márcia Regina
Benevides Da Silva

Professora

Nelson
Gonçalves

Professor

Dra. Teresa Raquel
Embiruçu de Araujo

Professora

Ma. Aparecida
Favoreto Makhoul

Professora

Me. Daniel
Cordeiro

Professor

Sylvia Faria
Marzano

Professora

Me. Ralmer Nochimówski
Rigoletto

Professor

O QUE FALAM DO CURSO

O curso é ótimo. Muito bem estruturado. Atendeu todas as minhas necessidades.

Morghana Ribeiro MoreiraMédica

Excelente atendimento. Funcionários sempre dispostos a nos atender. Acompanho o curso desde 2016 e tenho notado uma evolução significativa para melhora! Estão de parabéns! Já indiquei para vários colegas!

Aldir Guimarães DiasMédico

Estou muito satisfeita com a metodologia e dinâmica do curso. A primeira aula me deixou mais estimulada para o estudo!

Patrícia Farias de SouzaMédica

DIFERENCIAIS DO IBCMED

+4000

Alunos pós-graduados

+20

Cidades do Brasil

ENSINO PRÁTICO

Treinamentos práticos e atendimentos presenciais

100%

Professores mestres, doutores e especialistas

RECURSOS DIGITAIS

Para ampliar o acesso a fontes confiáveis aos alunos, o IBCMED oferece plataformas com base de informações médicas e bibliotecas digitais como.

Com o UpToDate, o profissional poderá buscar, através de palavras-chaves, novidades, atualizações de práticas clínicas, calcular medidas médicas, e, principalmente, tirar dúvidas clínicas, com análise de resultados e gráficos.

O DynaMed combina dados baseados em evidências de alta qualidade, orientação especializada e uma interface amigável e personalizada para fornecer respostas precisas de forma rápida no atendimento ao paciente.

A Biblioteca A reúne o conteúdo digital do Grupo A Educação e seus selos editoriais: Artmed, Artes Médicas, Bookman, McGraw-Hill e Penso.

CERTIFICAÇÕES

A parceria da Universidade São Judas, a Inspirali e o IBCMED permite uma experiência única de aprendizado, com mais qualidade, inovação e atualização. A Universidade São Judas tem conceito máximo institucional EAD (nota 5) na avaliação do Ministério da Educação.

PARCERIA

Com quase 50 anos de atuação e mais de 37 mil alunos, a Universidade São Judas está entre as melhores universidades de Medicina do Brasil e junto com a Inspirali desenvolvem e habilitam competências para tornar o aluno, o médico do futuro.

A Universidade e a Inspirali permitem que o curso seja criado e liderado por uma equipe multidisciplinar de especialistas renomados para criar uma experiência única de aprendizado.

CONHEÇA TAMBÉM OS CURSOS:

QUERO MAIS INFORMAÇÕES